Select player

Player Andre

André Bacchi é professor universitário, podcaster e fundador do Meia-Lua pra Frente e Soco. Alfabetizado por histórias em quadrinhos e proficiente em língua inglesa (ou não) graças aos games, sua área de concentração nerd abrange também filmes e séries. Entrou no mundo dos jogos elêtronicos por meio do Atari, mas foi o Mega Drive em 1991 que o transformou em um gamer convicto. Apaixonado por Senhor dos Anéis e sua adaptação aos cinemas (mas sem o mesmo amor ao Hobbit), André é fã das HQs da Vertigo, Conan, FPS de mundo aberto e as franquias da Nintendo. Não consegue achar Game of Thrones tão bom assim e até hoje aguarda esperançoso pelo lançamento de Shenmue 3.

 

Player Caio

Fã de Assassin’s Creed, espartano, parceiro de Kratos e Ezio e autor do #Xalala. Caio Nobre trabalha com tecnologia da informação, e não, não conserta impressoras. Embarcou no mundo dos games com o todo poderoso e mais foda console (chupem seguistas…kkk) Super Nintendo. Atualmente é PCzista e Sonista e curte todo e qualquer conteúdo nerd como filmes, séries, HQ’s etc. É um amante de jogos de terror, #sqn, e tem uma grande afeição pelo carismático Slender.

 

Player Verta

Seu primeiro nome é Guilherme mas isso não é lendário o suficiente, já que é descendente de Vertamus, o grande herói gales. Um dos criadores do Costelas e Hidromel, ex-engenheiro e atual jornalista/podcaster/escritor. Amante incorrigível de todas e quaisquer mitologias além de qualquer tipo de piada ou clichê. Debutou nos games com um Phantom System, achando que era o videogame original da Nintendo, e se envolveu 100% com este mundo desde então. Fã de qualquer boa história, particularmente de grandes heróis como Link, Ulisses, Hércules e Cuchuláin. Apaixonado por livros, filmes e HQs de toda sorte, escreve contos e viaja brutalmente na maionese tentando consciliar tudo que sabe das diversas mitologias e histórias da cultura pop. Sua gana por saber e ensinar lhe garantiu a fama de reencarnação de Athena nessa era, mesmo sem os longos cabelos roxos e seios fartos. Sua risada alta e fácil mantém os amigos por perto e lhe acarreta os mais diversos apelidos carinhosos (ou nem tanto…) como: Verta, Lendamatti, Saorimatti e até Thiamatti (sua deidade favorita).

 

——— Matheus dos Santos ————

Trabalha como Controlador de Tráfego Aéreo (não é aquele cara com os bastões na pista!) no mundo real. Mas também possui várias facetas, TeteusGamer, Teteus Snake, o ícone do The Voice, o grande Mater Chef brasileiro, são apenas alguns de seus títulos. Joga video games desde que se lembra por gente, começou pelo saudoso Atari e sempre acompanhando com amor cada geração de perto até hoje. Absorve todo o tipo de conteúdo nerd como games, filmes, livros, séries, animes e HQs. Apenas um jedi, discípulo de Tolkien aguardando a carta de Hogwarts e que ainda espera o Link falar em um jogo.

 

Player Renato

Formado em Ciências da Computação por culpa dos jogos de computador e da BBS/internet, com especialização em qualidade de sistemas e atuando com certificação de sistemas de pagamento. Chato e coerente-incoerente. Profissional em começar jogos e livros e nunca terminar a maior parte deles. Prefere uma boa estória à qualidade gráfica, jogos por turno a tempo real. Acha que FPS tem que ser com mouse e teclado e que sensores de movimento são legais. Fã de dinossauros, Nintendo, cultura japonesa, cinema, zumbis, GURPS e Vampire. Quando lendo, prefere estórias fantásticas às com base no mundo real.

 

Player Rodolfo

O coração de Pedra e Gelo, Peronidas, Fãs dos vilões e Portador do BanHammer. Gamer desde os 5 anos de idade, Nerd desde os bons tempos do primário. Um cara chato com muitos bons amigos. A vezes palhaço, as vezes ranzinza. Fã de Desenhos animados dos anos 90, que sofre bullying por ser Pisciano (maldito CDZ). Jogador de rpg de mesa semi-aposentado. “PCzista”, mas que ama o WiiU. Atualmente jogo mais FPS e Sandboxes. Em busca do game de terror que me de algum medo…

 

——-Vanessa Reis———

Conhecida como Van, Ban, Vanzinha é concurseira de plantão, e treinadora Pokémon quase em tempo integral. Portadora do poderoso martelo do Banhammer e a sétima integrante no meio dos Cavaleiros da zoeira apocalíptica. Apaixonada por vídeo games desde a infância com seu Atari, Super Nintendo, Mega Drive, Master System e Sega Saturn. Atualmente fã de carteirinha de Pokémon, amante das aventuras de Lara Croft em Tomb Raider e derrete-se pela beleza de Nathan Drake em Uncharted. Jogos de terror ocupa sua preferência como um de seus gêneros favoritos como Resident Evil, Outlast, Five Nights at Freddy’s além de escolher os jogos de terror e atormentar o Caio Nobre para jogá-los. Jogos de histórias apaixonantes e bizarras de RPG Maker como To The Moon e Corpse Party também tem um espaço especial no seu coração. Amante da leitura, desde o romance até aventura, principalmente pelas obras de C.S. Lewis e Tolkien, onde aguarda uma oportunidade de visitar Nárnia e a Terra Média. Presente em todas as livestreams do canal, foi treinada no exército da zoeira do Meia Lua e quando seu martelo poderoso está em ação ele não erra seu alvo.

 

Co-Fundadores

Farmácia, puzzles desafiantes e Zelda!

Diogo Carraro é londrinense “da gema” e um farmacêutico orgulhoso da profissão. Durante a graduação conheceu André Bacchi e, consequentemente, Gleyson Stabile. Se lembra com detalhes da emoção ao jogar o primeiro game de sua vida, Super Mario Bros., no saudoso Nintendinho. É um defensor incansável da aceitação de games como uma forma de cultura. Por esse motivo, quanto mais artístico e/ou com puzzles desafiantes, melhor é o jogo. Sua série de livros favorita é “O Guia do Mochileiro das Galaxias”. Durante sua infância leu praticamente todos os livros da “Coleção Vagalume”, fato esse que o ajudou a ter a mente fértil (ou, segundo amigos de faculdade, uma pessoa que “viaja” muito!). Desde sempre fã da Nintendo, acredita que o mundo se divide entre antes e depois de “The Legend of Zelda: Ocarina of Time”, embora esteja um pouco decepcionado com os rumos atuais da empresa. No cinema, “O Senhor dos Anéis” é sua trilogia favorita, porém detesta filmes (e jogos) que apenas se apoiam em efeitos especiais e esquecem da história e roteiro. Arruma encrenca facilmente em conversas entre “nerds” devido ao fato de não gostar da grande maioria dos filmes baseados em quadrinhos, jogos baseados em filmes, filmes baseados em jogos, e todas as variações possíveis. Passará a ter esperanças na sociedade quando for lançado algum Zelda em HD e sem comando por movimento.

 

Fisioterapia, batalhas épicas e heavy metal!

Graduado em Fisioterapia, Gleyson Stabile é mestre em fisiologia do exercício, ex-praticante de atividade física e atualmente em fase de engorda. Torcedor do Londrina Esporte Clube, acredita todo ano que “agora vai”, termina puto com a derrota do time, mas “agora vai”. Adora artes marciais, mas não suporta conversar com quem fica mistificando a coisa toda.  Sua área de concentração nerd abrange jogos de RPG, games on-line, quadrinhos – graças ao André! – , livros, cinema, seriados, ciência, documentários científicos e históricos, muitos deles. Curioso por natureza, adora ler sobre povos antigos e suas táticas de guerra, cultura, batalhas históricas e a implicação disso tudo nos dias de hoje. Com relação à música, gosta muito de metal apesar de não aparentar e sofre quando tem que ir a uma festa onde vai tocar sertanejo universitário ou coisa do tipo e se começar a tocar funk, simplesmente manda todo mundo à merda e vai embora.  O filme que mais gostou de ter visto no cinema foi “O Homem-Aranha”, mas nunca se esquece do bizarro e divertidíssimo “Arraste-me para o inferno”. Ainda na infância adorava fazer filmes em “stop motion” com lego e massinha de modelar caseira, e as histórias variavam desde bonecos sendo atropelados sem motivo aparente a fazendeiros lutando desesperadamente contra lesmóides (do filme “ataque dos vermes malditos”). Hoje em dia já fica satisfeito se encontrar o botão de REC do seu novo celular.

 

2012-2017 | Meia-Lua