MeiaLuaCast #026 – Dublagem nos Games (com Gustavo Nader e Ricardo Juarez)

Banner-#026

Neste podcast: André Bacchi e Rodolfo Cunha recebem os convidados especiais Gustavo Nader (dublador e diretor de dublagem da Blizzard) e Ricardo Juarez (locutor e dublador do Cruzado, Marius Titus, Kratos, além do saudoso Johnny Bravo)  para um bate-papo sobre a dublagem nos games! Conheça um pouco das trajetórias desses grandes dubladores, entenda as diferenças entre a dublagem nos games e a dublagem no Cinema/TV e saiba qual é a função de um diretor de dublagem.  Tudo isso permeado por diversas curiosidades a respeito dessa arte sonora. Se você joga games ou assiste a trabalhos dublados, ou se tem interesse ou pretende ser dublador, esse é o seu podcast!

Ouça em nosso player:

 

Assuntos comentados neste episódio:

 

Mighty Max

 

Jay-Jay o Jatinho

 

Digimon

 

Johnny Bravo

 

Diablo III: Reaper of Souls

 

Hearthstone

 

Concurso para Narração de Heroes of the Storm


Andre Bacchi

André Bacchi é professor universitário, podcaster e fundador do Meia-Lua pra Frente e Soco. Alfabetizado por histórias em quadrinhos e proficiente em língua inglesa (ou não) graças aos games, sua área de concentração nerd abrange também filmes e séries. Entrou no mundo dos jogos elêtronicos por meio do Atari, mas foi o Mega Drive em 1991 que o transformou em um gamer convicto. Apaixonado por Senhor dos Anéis e sua adaptação aos cinemas (mas sem o mesmo amor ao Hobbit), André é fã das HQs da Vertigo, Conan, FPS de mundo aberto e as franquias da Nintendo. Não consegue achar Game of Thrones tão bom assim e até hoje aguarda esperançoso pelo lançamento de Shenmue 3.


  • Gabriel Buba

    Com certeza quando o jogo é bem dublado ajuda na imerção…recomendo http://gabrielbubasg.blogspot.com/

  • Brancão

    Add lá B4rracuda#1542
    Jogo desde quando saiu diablo 3,parei algumas vezes e voltei mas sempre joguei..e antes dele não gostava de nada dublado,nada mesmo,mas depois do jogo passei a dar mais atenção a versões dubladas,nem que seja apenas pra dar uma olhada pra ver como tá.
    Nada contra os dubladores mas acho que tem mais impacto o som original,opinião minha.
    COntinuem com o cast..não parem! xD

    • André Bacchi

      Então, é muito questão de gosto pessoal, mas é muito importante haver essa opção, tanto pra quem prefere, quanto pra aumentar o acesso.
      Valeu mesmo! Abração!

  • Muito bom o podcast!!
    Só não concordo com essa “restrição” de precisar de um registro de ator para poder começar a trabalhar na área. Antes de qualquer papel que prove que uma pessoa está apta a dublar, acredito que venha o talento.

    O talento pode ser aprimorado num curso de teatro, mas antes disso, nasceu com a pessoa. Tenho certeza de que muita gente que faz fãdublagem aí, se pudesse ter uma oportunidade, poderia vir a fazer parte do elenco de muitos trabalhos por aí.

    E conhecendo um pouco sobre dublagem, posso dizer que tem muita gente que tá no mercado hoje tendo começado sem o tal do registro de ator XD

    • Andre Bacchi

      Oi Gisele! Que bom que gostou do podcast!

      Eu realmente entendo isso que você disse, embora também entenda o outro lado. Cai na mesma questão que diversos exames de proficiência, como a própria OAB dos advogados. Não é porque o cara passa no exame, que será um bom advogado. Da mesma forma que hoje qualquer diploma de faculdade você pode praticamente “comprar”. Por outro lado, sem nenhuma regulamentação seria um pouco caótico e desvalorizaria o trabalho dos profissionais. Mas concordo que em todas as áreas temos pessoas que são privadas de exercer seu talento e pessoas trabalhando na área sem merecer. Sendo como for, se a vontade é dublar e essas são as regras, temos que dançar conforme a música ;) Abração!

2012-2017 | Meia-Lua