CCXP 2016 – Review

Tive a oportunidade de conferir a terceira Comic Con Experience no Brasil neste dia primeiro de Dezembro de 2016. Vou descrever um pouco como foi a trajetória até lá, o que eu esperava e o que eu conferi. Já tinha ido em 2014 e 2015, para esse ano, as expectativas estavam altas!

Optei ir de transporte público, desci no metrô Jabaquara e caminhei até a fila dos ônibus do evento. Como já fui nos anos anteriores, seguiu o mesmo esquema. A fila estava pequena para uma quinta-feira, muita gente com camiseta “nerd”, sinalizando obviamente que se tratava de uma fila para o evento. Após dez minutos embarquei no ônibus, pegamos um pouco de trânsito ao chegar perto do evento e descemos no Pavilhão São Paulo Expo. Eram onze da manhã e ao caminhar para a fila de credencial, me assustei com o tamanho da fila do público. O evento abriria somente ao meio-dia, a fila era enorme!

O evento abriu meio-dia em ponto, ao caminhar pelos corredores, aquela música do evento tocando, vendo os stands, lojinhas, praça de alimentação, fiquei um pouco confuso com o que eu poderia ver primeiro. Em questão de poucos minutos, muita gente já estava no evento, pessoas parando para tirar fotos de cosplays e burburinhos no corredor, sabe quando você dá uma caminhadinha e esbarra em alguém? Mesmo assim, não deixei de conferir o que eu queria.

ccxp2016-03

Vi de longe o Painel exibindo a homenagem ao Renato Aragão, ele chorando todo emocionado. Logo em seguida Vin Diesel e Nina Dobrev estavam no Painel da Paramount anunciando o novo filme da franquia Triplo X. Aos poucos fui desbravando todos os pavilhões do evento, olhei todos os stands, filas enormes estavam se formando para entrar nas lojas e conferir as novidades. Fui no stand da Panini e fiquei quase vinte minutos para entrar e mais trinta minutos na fila para pagar, o evento estava bombando e me liguei que teriam muitas filas ainda, precisaria “ligar a paciência”.

Conferi o Stand da Iron Studios, com as novas coleções expostas em vidros. Tinha personagens da DC Comics, como o elenco do Esquadrão Suicida, Batman, Exterminador, Capitão Marvel e Gavião Negro. Da Marvel Comics, estavam expostos o Capitão America, Falcão, Soldado Invernal, Homem de Ferro, Gata Negra, Logan entre outros. O que impressiona nesses colecionáveis são os mínimos detalhes das esculturas. Parece muito real, é muito legal ficar ali observando cada detalhe. Tinham alguns protótipos ainda como uma Mulher Maravilha gigante e o Logan de Arma X, ambos sem pintura.

ccxp2016-06

O stand da Netflix estava cheio de novidades e atividades, para o público interagir, bem bacana o esquema deles. Tinha uma salinha para você entrar e falar algum spoiler, me pergunto o que farão com todo aquele material filmado. O stand da Turma da Mônica estava cheio de novidades, cheio de produtos oficiais à venda e um belo trono de “Sansões”. O da HBO tinham os trajes utilizados pelo elenco do Game of Thrones. Ao percorrer o evento, conferi as novidades da Paramount, Hasbro, Piziitoys, Warner Bros, Mattel, Disney, Paris Filmes e Riachuelo. Tinha muita coisa para ver, fazer, acompanhar e muita lojinha para entrar e fazer aquela compra. Tinha muito Pop Funko a venda, impossível sair desse evento sem comprar um. Eu mesmo levei um Baby Groot maravilhoso e fofo para casa!

Do nada ouço um burburinho e uma galera enorme aglomerada vindo à minha direção! Era a atriz Natalie Dormer, atriz de Game of Thrones, indo para o Auditório Cinemark rodeada de fãs e seguranças. Vi a carinha linda dela de perto.

ccxp2016-02

Queria falar também sobre os destaques de vídeo games, tinha Pokemon pra todos os cantos, seja de cosplay quanto de bonequinhos. Montaram um stand de Le parkour para o filme Assassin’s Creed, com um monte de gente dando piruetas e se jogando em colchão de ar, dava muita vontade de ir lá, mas por causa da fila acabei desistindo.

Este ano, colocaram o Artist Alley bem no meio do pavilhão, te obrigando a passar pelo meio, mesmo você não querendo (ano passado estavam isoladinhos no canto). É muito bom conferir o que os artistas brasileiros estão produzindo, tinha muito material maravilhoso, passei em cada um e comprei um quadrinho ou outro. Estava ali bem de boa, olhando um por um quando me deparo com uma fila gigante. Pensei “eita, fila aqui também?”, olhei melhor e era o desenhista e roteirista Alan Davis!! Ele fez uma fase dos X-Men durante um bom tempo! Fiquei bem animado! Fui lá pertinho tirei uma fotinho hehe Caminhando um pouco mais encontrei outros grandes artistas internacionais, como Bill Sienkiewicz, Jae Lee, Frank Quitely, Paul Pope, Mahmud Asrar e Frank Miller! Cara, para um nerd como eu, que cresceu lendo gibis, ver eles foi a mesma coisa que ver um cantor internacional, e bem ali, do seu lado, super acessível!

ccxp2016-04

Um destaque para o ilustrador Simon Bisley, que saiu autografando os gibis da galera na fila. Me passou um rápido flashback na cabeça, do quanto eu gosto de seus desenhos, do encadernado Slaine, que li ainda criança e o quanto fiquei encantado com seu belo traço. Por coincidência eu tinha comprado o encadernado do LOBO e tirei da mochila rapidamente para ele assinar, ele veio assinou e ainda tirei um selfie com ele. Depois fiquei com a perna mole e o coração disparado com o ocorrido. Não sou de tietar ninguém, mas esse cara fez parte da minha infância, ao ver cara a cara dá aquela sensação esquisita.

No meio do vai pra cá, vai pra lá, ouvi anunciarem que a Bandai tinha trazido as armaduras de ouro. Eu tinha esquecido desse detalhe! Corri para ver onde elas estavam expostas e fui conferir. Atravessei o pavilhão, entrei no “Anime Experience” e ao chegar perto vi uma muvuca de gente tirando fotos pela entradinha disponível. Tinha uma fila ao lado para entrar e apreciar cada armadura. Com certeza  foi o que eu mais gostei desse evento. Ver as doze armaduras de ouro dos Cavaleiros do Zodíaco foi algo que traduz todo o encantamento que eu tinha aos dez anos, ao assistir essa série. As armaduras pareciam vivas, aquela iluminação enalteceu os detalhes. A proporção seria de 1:1, mas elas estavam um pouco maiores, em pedestais, trazendo toda imponência. Ao entrar na sala, tinha uma fila super organizada, cada pessoa poderia tirar uma foto da armadura de seu signo civilizadamente. Meu signo é Libra, ao ver de pertinho a armadura fiquei bem emocionado, não acreditando no que estava acontecendo. Aquelas pessoas estavam ali apreciando esses objetos, fazendo fila, fazendo selfie, por causa de um anime que foi exibido no Brasil há 20 anos! Cavaleiros tem um grande poder sobre o público ainda. Fora os Cloth Myths a venda, espalhados pelas lojas do evento, com vários preços.

ccxp2016-08

Esse encanto pelos Cavaleiros, poderia traduzir o que é ir na Comic Con! Imagina ver as novidades de sua série/filme/gibi/desenho favorito? Reunir um monte de pessoas que curtem a mesma coisa que você! O bom é encontrar amigos de outras cidades, que você conhecia somente pela internet, o evento proporciona esses encontros, afinal hoje estamos todos conectados através das redes sociais. Conforme ia postando fotos da CCXP no Facebook e no Instagram, muitos amigos comentavam, acompanhando as novidades indiretamente. Não é a toa que os artistas internacionais que vêem ao evento gostam tanto dessa vibe brasileira, vide James Gunn, que veio anunciar o trailer do seu novo filme Guardiões da Galáxia Vol.2 e amou tanto a vibe daqui que disse que é a melhor Comic Con que já foi! Eles mesmo ficou postando no twitter suas impressões do evento. Aqui no Brasil os fãs aplaudem, gritam, ovacionam, é uma bela energia!

Aguardo ansiosamente a CCXP de 2017! Até lá!

ccxp2016-05


Eduardo D'Angelo

Também conhecido como Chase Faster, nasci em 1984, sou apaixonado por Action Figure, Música e coisas nerd/geek. Sou leitor assíduo da editora Marvel Comics, gosto mais de X-Men (fase azul do Jim Lee, em específico), curto alguns mangás/animes (Saint Seiya / Yu Yu Hakusho / Hokuto no Ken & Sailor Moon), curto muito os filmes dos anos 80 no estilo John Hughes e sci-fi futuristas (Save Ferris / Goonies & Blade Runner). Fui DJ uma época, trazendo músicas japonesas (J-Rock/Visual Kei) para as baladinhas alternativas de São Paulo. Sou designer gráfico e 2014 iniciei o projeto “filtro365”, com o desafio de tirar uma foto por dia do meu cotidiano e no fim transformar em uma peça gráfica (talvez um livro?). Atualmente estou no projeto #Sketch365 que consiste em fazer um desenho por dia, nem que seja meia horinha por dia dedicado à ilustração e este projeto evoluiu e se tornou o site www.proudlynerd.com .


2012-2017 | Meia-Lua